Família Kumm

Aos poucos fotografamos o mundo

›› Expedições ›› Vamos Kumm Tudo

Partida: 27/02/2016

Let Kumm Everything will be a photographic expedition, which will seek the street games, children, the countries through which we pass. The expedition has not pre script defined and will be fully funded by our photography work. We sell our photos in public places where we go. The money of the pictures will be to fund our dispesas, mainly diesel. If you are interested in helping please contact us by email or by familiakumm@yahoo.com.br whatapp +554899820241.

Vamos Kumm Tudo será uma expedição fotografica, que buscaremos as brincadeiras de rua, das crianças, dos países por onde vamos passar. A expedição não tem roteiro pré definido e será totalmente financiada pelo nosso trabalho de fotografia. Venderemos nossas fotos nas praças públicas por onde passarmos. O dinheiro das fotos sera para custear nossas dispesas, principalmente o diesel. Se você tem interesse em ajudar entre em contato pelo e-mail familiakumm@yahoo.com.br ou pelo whatapp +554899820241.

Goiais Velho

Data: 24/03/2016 21:30:00

Chegamos cansados, nos caminhamos um pouco compramos 1 crepe para os dois, sentamos na calçada, comemos o crepe e na espera da procissão dormimos ali mesmo na calçada. Quando acordamos estava acontecendo o teatro de encenação da morte de Cristo. Muito interessante é feito nas ruas da cidade. E o povo vai acompanhando. O cansaço e o stress era tanto que nem consegui acompanhar direito e poucas imagens neste dia eu fiz.

Saímos do centro da cidade as 01h da manhã e fomos procurar um lugar para dormir. Tinha lido sobre o pátio de um hotel e fomos procura-lo. Chegando vimos que era um hotel de luxo da cidade com uma baita vista e um lindo pátio para armar a barraca. Foi o que fizemos e pegamos nosso vinho, tomamos duas taças e caímos na cama.

Nosso destino na cidade seria até segunda feira, para passar na oficina. Quando acordamos conhecemos um casal que também gosta de aventura e conversamos um monte e depois fomos dar uma volta na cidade, conhece-la e fotografa-la. Almoçamos num restaurante a kilo, era simples e barato. A chuva caiu forte e as crianças que estavam no restaurante foram para rua brincar nas correntes de agua que passavam.

Saímos de lá a procura de um lugar que fosse legal para a gente descansar. Buscamos todos que havia visto na internet e todos eram caros, uns R$ 100,00. Depois de muita procura encontramos um camping bem simples com o preço pela metade (50) e ali a gente se instalamos. Tínhamos a intensão de imprimir fotos e levar no sábado, lá na cidade para vender e também preparar o material e mandar para as pessoas que estão contribuindo com o nosso projeto.

Antes de começar fui tomar banho e como de costume o chuveiro era frio. Mas como havíamos dormido na calçada ontem e tínhamos dormido no estacionamento do hotel. Tive que encarar. O lugar era bonito, tinha porquinhos soltos, patos, galinhas e outros. Deu uma saudade grande da Isadora. O lugar era perfeito para ela. O Walfredo foi ligar a instalação elétrica na tomada e o carro começou a dar choque. Acho que algo não vai bem em nossa instalação.

No outro dia acordamos e começou a dar uns atritos, eu queria trabalhar e ele queria explorar a região. Sei que ele tem razão em querer descobrir os lugares, mas nos também precisamos de recurso para explorar. Acho que pela minha brabeza eu venci. Ficamos lá trabalhando até aproximadamente 14h. Eu estava muito esperançosa de fazer algum dinheiro. Procuramos um lugar legal na Praça e quando começamos a instalação, veio um homem dizendo que não poderíamos ficar ali.

Colocamos o carro em outro lugar e ficamos aguardando o movimento da procissão. Todos que chegavam queriam saber um pouco das histórias que tínhamos para contar e muitos compravam fotos para nos ajudar. Veio dois jovens e começaram a vibrar e a conversar muito empolgados com a gente. Dei nosso whats para eles e saíram. Quando já havia terminado o evento. Recebi um recado. “Vocês vão fazer alguma coisa hoje a noite, querem tomar um vinho com a gente? ” Olhamos um para o outro e dizemos porque não. Foi o tempo de fechar tudo e eles chegaram para nos buscar. Paramos na frente da casa deles para deixar o carro e seguimos para Praça principal. Lá estavam Pedro, Carol, Danilo, Luana André, Joelma e Jaqueline. Como foi bom a troca de experiências, uma conversa com jovens animados e cheio de vida.

Na praça tinha uma máquina de som, que você coloca uma moeda e escolhe uma música. Teve um cara que colocou 50 moedas para a mesma música. Foi motivo para darmos muitas gargalhadas. Cheguei a ficar com dor na barriga de tanto que eu ri. O som era de Maiara & Maraisa, 10%. Não gosto muito desse tipo de música, mas tenho que confessar que escuto esse som e fico muito feliz, lembro dos meus amigos de Goiás velho. A pessoas que passam e nossas vidas e marcam eles foram uma das pessoas que marcaram.

Nossa festa terminou e voltamos para o estacionamento do hotel. Estava muito bom, um arzinho fresco e bem tranquilo. Quando levantamos apareceu a dúvida, se continuaríamos a viagem ou esperaríamos até segunda. Na incerteza de lugar e o medo de cidade grande seguimos viagem.

Até avistar um local todo iluminado e resolvermos pedir para dormir no estacionamento. Era um empório com restaurante, padaria e café. Recebemos autorização e ali ficamos. Veio o Vinicius um rapaz que estava organizado o evento de inauguração do empreendimento. Eles estavam abrindo a casa pela primeira vez e nos participando deste momento. Ofereceram tudo inclusive chuveiro para tomar banho.

Aquela noite foi pão, salame que ganhamos, tomate e queijo.

 

›› Diário da Expedição


Voltar
  • Facebook
  • Facebook
  • Twitter
  • Twitter
  • Twitter

 

 




familiakumm@yahoo.com.br +55 (48) 99655-2507
SITE com ARTE
Restrito